Páginas

domingo, 24 de agosto de 2008

24/08 - Coteminas no Haiti

A Coteminas, um dos maiores produtores mundiais de artigos de cama, mesa e banho, pretende instalar fábrica no Haiti, com a finalidade de atingir o mercado americano de maneira mais fácil. Enviará matéria prima brasileira para aquele país onde irá confeccionar parte de seus produtos.
Josué Gomes da Silva, presidente da Coteminas e filho do vice-presidente José Alencar, diz: "O Brasil é um reconhecido colaborador do processo de resgatar o Haiti. O país tem o direito de pleitear um tratamento preferencial (para a instalação da fábrica)". O empresário já esteve pessoalmente no Haiti e conversou com produtores locais em busca de parceiros. A indústria têxtil haitiana, que chegou a ter mais de 100 companhias na década de 80, hoje conta com pouco menos de 20 empresas. Mesmo assim, ainda representa 10% do Produto Interno Bruto (PIB) e 68% das exportações. Os benefícios de uma fábrica da Coteminas para um país pobre como o Haiti são óbvios. Cerca de 80% da população está desempregada. O governo brasileiro também sai ganhando. "A saída das forças de paz está relacionada à segurança e ao desenvolvimento econômico", avaliou o embaixador do Brasil no Haiti, Igor Kipman.
Observando os números abaixo é fácil entender também outros motivos para a escolha.
Segundo a consultoria têxtil Werner International, com sede na Bélgica, o custo da mão de obra no setor de confecções têxteis, em dólar/hora apresenta os seguintes valores nestes países: Itália 20,05 – Estados Unidos 16,92 – Polônia 4,62 – Brasil 3,27 – Argentina 3,00 – Turquia 2,96 – México 2,45 – China interior 0,55 – Haiti 0,50 – Vietnã 0,46 e Bangladesh 0,28 !!!!!!
Os números falam por si só!!!!
Até mais, pessoal!!!!

Sandro F. Voltolini

2 comentários:

Airton disse...

Muito boa esta noticia.
Parabéns.

João Miguel Cassini disse...

Show de bola!!
Vou mandar meu curriculun para a filial da Italia!!!
Abraço