Páginas

domingo, 21 de setembro de 2008

21/09 - Balanced Scorecard (BSC) - Indicador de desempenho

Olá, pessoal!! Há alguns dias atrás me perguntaram se conhecia a expressão BSC ou balanced scorecard, então percebi que valeria a pena escrever um pouco sobre o assunto... A seguir, transcrevo algumas informações a respeito.
Segundo Kaplan e Norton (1992) frustrados com as inadequações dos sistemas tradicionais de mensuração do desempenho, alguns gerentes deixaram de lado os indicadores financeiros, como retorno sobre o patrimônio liquido e lucro por ação. “Efetue melhorias operacionais e os números as refletirão”, é o argumento. Mas os gerentes não querem escolher entre indicadores e operacionais. Os executivos almejam um conjunto equilibrado de indicadores que lhes permita visualizar a empresa sob várias perspectivas ao mesmo tempo.
O balanced scorecard (BSC) é esse indicador de desempenho que permite aos gerentes terem uma visão geral de toda a organização. Inclui indicadores financeiros que mostram o resultado das ações do passado, e os complementa com três conjuntos de indicadores operacionais, relacionados com a satisfação dos clientes, dos processos internos e com a capacidade da organização de aprender a melhorar – atividades que impulsionam o desempenho financeiro futuro.
Kaplan e Norton (1993) declaram em seu artigo “Colocando em funcionamento o Balanced Scorecard” que muito mais que um mero exercício de mensuração, o BSC é um sistema gerencial capaz de motivar melhorias drásticas em áreas criticas como produtos, processo, clientes e mercados.
O BSC é uma metodologia de medição de desempenho da organização. Podemos considerar o BSC como um instrumento de gestão estratégica e não apenas um conjunto de indicadores. Este introduz uma nova visão de medida de desempenho, não somente aquela baseada em análises financeiras. Ao contrário, o BSC permite aos gerentes terem uma visão geral de toda empresa através de quatro importantes perspectivas:
a) Perspectiva dos Consumidores: Como os consumidores vêem a organização;
b) Perspectiva Interna: O que é necessário fazer para a empresa se sobressair?
c) Perspectiva de Inovação e Aprendizagem: Pode a empresa continuar melhorando e criando valor?
d) Perspectiva Financeira: Como a empresa olha para os acionistas?
Quanto a cada uma das perspectivas do balanced scorecard (BSC), a perspectiva interna está relacionada à necessidade da empresa em identificar sua core competence. A empresa tem de identificar quais são suas maiores qualidades e buscar desenvolvê-la, assim conseguirá atingir uma vantagem competitiva que dificilmente será alcançada por qualquer outra organização. Essa core competence pode ser tornar no que Slack et al (1999) denomina de critério ganhador de pedido e não apenas qualificador. Quanto à perspectiva de inovação e aprendizagem, a organização deve envolver-se num processo de melhoria continua do seu processo produtivo e ter a habilidade de lançar novos produtos no mercado com capacidade expandida.
Quanto a última perspectiva, a financeira, embora muitos argumentem que esta não seja uma boa medida de desempenho, deve-se ressaltar que esta é uma medida valorizada pelos acionistas da empresa. Portanto deixá-la à parte pode ser prejudicial à imagem da empresa perante o mercado.

Visão geral das perspectivas do BSC:
Fonte: X SIMPEP, Simpósio de Engenharia de Produção, Bauru, São Paulo
Sucesso à todos!!!
Grande abraço.
Sandro F. Voltolini

Um comentário:

Ademir Sachetti disse...

Olá!
Uma ação pró-ativa seria utilizar as diretrizes do "core competence" no processo de seleção dos novos colaboradores identificando os que apresentam melhor potencial de desenvolvimento e até mesmo na seleção de fornecedores. Não basta apenas medir ou corrigir é necessário ter um plano de desenvolvimento. Com os novos desafios deste país precisamos aumentar rapidamente a qualidade de gestão das nossas empresas.

um abraço.

Ademir Sachetti